Canção de Amor para uma moça judia

Conheço Rosinha Palatnik
por um único retrato de louça
que vive no cemitério
entre os túmulos judeus
Morreu em 1936 aos vinte anos de idade
e há sobre a lápide letras em hebraico
que não decifro

Talvez suicídio, talvez outra sorte
De qual morte morreu essa moça judia
que não morre?
De qual vida ela vive naquele retrato
de louça que mais parece de carne
E por que vem assim
semear-me no meio da tarde?

O que te devo, mulher, o que queres?
Viveste na minha cidade
e queres ainda viver por mim, por meus olhos
por minha carne de homem
boca lábios ouvidos
e queres ser uma música

Te vejo em muitos lugares
sempre dentro do retrato
presa e viva, branca e morta
Que queres, mulher,
tanto tempo depois do tempo
em que houve calor para ti no mundo?
Que queres da tua janela de vidro
com o teu corpo de cinzas

Não me faças desejar-te assim
Tu que não tens mais carne
para o meu desejo
nem sequer seda de vestido que eu toque
nem um corpo nem seios
só o retrato frio na lápide

Que amor terrível é este que me trazes?

Iracema Macedo

Anúncios

Saudades

Hoje acordei com saudades de um passado não muito distante.
Acordei com saudades de um tempo em que caminhava nas ruas de minha vida, acompanhado por companheiros, assim como eu, livres das amarras das obrigações e das horas. Acordei com saudades de um tempo em que pouco importava as roupas que vestia, a forma de cabelo ou as palavras que pronunciava. Saudades de um tempo repleto de imaginações férteis, de sonhos sonhados acordados, de odores de escola, de merenda, de intervado. Saudades do cheiro da terra molhada, da manga doce, das flores do jardim da minha casa. Saudades do silencio da madrugada, das canções da minha mãe, das falas dos velhos que relembravam o passado.
Hoje acordei com saudades de um passado não muito distante. De momentos chorados e sorridos, por amores nunca realizados. Acordei com saudades de uma juventude anterior a esta, das roupas escuras, das musicas não compreendidas, do banho de chuva, dos desenhos de domingo. Acordei com saudades dos encontros com os grupos dos que acreditavam em novos dias, dos que amavam outros campos, que sonhavam e amavam como crianças.

Minha vida

Minha vida aqui dentro
É como vento sem direção
É como tempo sem coração
E como a noite sem luz.

Minha vida aqui dentro
É como templo sem fé
Carta sem amor, sem vida.

Minha vida aqui dentro
É como uma chuva
Que nunca para de cair.

Como uma lágrima recolhida
Um dia, uma vida
Um pássaro limitado
Uma criança sozinha
Uma paz, uma linha.

Ciências naturais e Sociologia

A Física, a Química, a Matemática e a Biologia, são disciplinas do campo das ciências naturais do Ensino Médio que fazem uso de esquemas interpretativos, bem como de formulas e tabelas para analisar, calcular e compreender diferentes tipos de fenômenos. Estas disciplinas em muito tem sido reconhecidas como “ciências autenticas” por grupos de estudiosos, que identificam em seus métodos e categorias elementos que possibilitam compreender o mundo. Para alguns, o mesmo não ocorre quando pensamos em outras ciências, como a sociologia e a filosofia, ambas imprescindíveis para a compreensão do mundo, da vida social e para a reflexão sobre o papel das próprias ciências naturais.

Para exemplificar a importância das Ciências Humanas, Galileu Galilei (15641642), nos parece ser um dos melhores exemplos de cientista que tanto atuou  no campo das ciências naturais, quanto nas humanas. Galilei, foi físico, matemático, astrônomo e filósofo. Ele teve um papel preponderante na chamada revolução científica. —  Suas descobertas, reflexões e intervenções,  tanto influenciaram as ciências tidas como exatas, quanto possibilitaram o desenvolvimento das  sociais, pois o mundo social estava mudando, e a ciência era reflexo e motor dessa mudança.

Nesse contexto, apresentamos a importância da jovem sociologia. Importância esta revelada na ação de tentar compreender o ser humano, a sociedade e todos os acontecimentos sociais, incluindo as descobertas cientificas, criação do Estado, de tecnologias de controle social e de emancipação. Apresentamos a sociologia, como uma ciência reveladora, problematizadora e um instrumento cientifico-critico.

Nos presentamos como representantes das ciências sociais, em especial da sociologia, como um campo de conhecimento cujo objeto de estudo é a própria sociedade, local onde todas as outras ciências são produzidas e aplicadas.

As ciências podem e devem ser consideradas como produções culturais humanas, e por isso, produções de uma determinada sociedade. Todas essas ciências se encontram, direta ou indiretamente, na própria existência humana, estando unidas pelo elemento humano que as tornam sociais.

É esse um dos nossos principais desafios frente a sociologia, fazer com que nossos alunos compreendam  que a sociologia é uma ciência tão importante quanto as demais, utilizem suas metodologias e conceitos como instrumentos para analisar  nosso objeto de estudo – a sociedade; descobrir e construir novos conhecimentos sobre a sociedade, e porque não, sobre nós mesmos.